Lilith: a primeira mulher, símbolo feminista de empoderamento

11 maio 2020 - Tags:, , ,

OSR blog post

As narrativas sobre Lilith são nebulosas e variam muito. Entenda mais sobre a primeira mulher da Terra.

Lilith é um dos espíritos mais antigos do mundo inteiro. Podemos encontrar sua origem real na Epopeia de Gilgamesh, um dos mais antigos poemas épicos da Mesopotâmia. Mas Lilith também é mencionada no Talmud e na Bíblia.

Segundo o próprio Talmud, uma grande coletânea de textos sacros do judaísmo, Lilith foi criada por Deus da mesma forma que Adão foi criado, porém, ao invés do barro, Lilith foi feita com lodo, e ela se tornou a primeira mulher de Adão.

Entretanto, a mulher acabou se cansando de ser tratada como inferior por Adão, visto que os dois haviam sido criados da mesma maneira. Lilith se rebela então, abandonando o Éden e vivendo como um dos demônios do Mar Vermelho, muitas vezes subversa a Lúcifer.

Deus, neste momento, cria Eva, dando a Adão uma nova esposa. Em Gênesis, uma outra companheira idônea é mencionada. Quando Adão vê Eva, ele mesmo diz que ela, diferentemente de Lilith, é feita como ele. Isso é evidência de que Lilith foi criada antes de Eva.

Lilith

Pixabay

Juntamente com outros monstros e demônios, Lilith é descrita como uma deusa obscura, um demônio feminino. Na bíblia existem passagens sobre isso. Ela é mencionada algumas vezes como uma entidade sombria.

Além das narrativas que constam na Bíblia, ela é adorada por várias religiões, como a Wicca. Originalmente, a rainha dos céus sumeriana, que representa o poder feminino, tornou-se Lilith, mostrando uma independência e pura autonomia do feminino.

Lilith e as Narrativas Modernas

Atualmente, Lilith vem sendo resgatada em novas interpretações históricas. O Símbolo da Independência Feminina, da rebeldia contra o que não é justo, tem sido um baluarte para o feminismo moderno.

O feminismo é um movimento que luta, em suas palavras, pela igualdade entre os sexos masculino e feminino. Ou ao menos era isso que ele defendia no começo. Atualmente, a pauta defendida pelo movimento já é ampla e várias coisas estão presentes nela.

Não a toa se vê a figura de Lilith como uma representação desta mudança, desta revolta, e deste levante contra o status quo em que a sociedade atual se encontra. Lilith é uma figura que representa a revolta e a autonomia feminina, e não à toa é adotada pelo movimento como um dos diversos símbolos.

Talvez Lilith seja uma das mais sinistras entidades femininas. Muitas vezes representada como um demônio que copula com homens contra suas vontades e que persegue mulheres grávidas, ela é um símbolo cristão para tudo o que é desprezível no comportamento feminino.

Entretanto, existem diversos poemas e histórias que romantizam a luta de Lilith contra o patriarcado de Deus e Adão. Ela é vista como um modelo de empoderamento judaico-cristão. A ideia dela como uma Deusa é recente, assim como a Wicca em si. Em 1930 foram descobertas algumas placas arqueológicas que a traziam como deusa.

Lilith

Pixabay

Hoje em dia, para o feminismo, Lilith é um símbolo de luta, e afirma-se como uma imagem forte e empoderada, superando sua definição como a reunião dos aspectos negativos do feminino em geral. Essa imagem foi absorvida por diversos movimentos, e não é a toa que hoje muitas pessoas a cultuam.

Gostou desse artigo? Tem mais como este em nosso blog, não deixe de conferir agora mesmo!

Conheça nosso Blog!

E se você não sabe o que dar de presente durante a quarentena, temos uma ideia genial para você!

Nomeie uma estrela!