Pirâmides do Egito: construída por escravos ou por trabalhadores?

21 fev 2019 - Tags:, , ,

Pixabay

Todo mundo lembra que o Egito Antigo era um lugar onde escravos trabalhavam a vida inteira para construir as pirâmides, não é verdade?

Pois é. O problema é que isso é uma história pra boi dormir! Arqueólogos americanos e egípcios descobriram recentemente que, na verdade, estes trabalhadores das pirâmides eram livres, eram bem alimentados, e em sua grande maioria não eram estrangeiros.

As pirâmides: uma nova teoria de como tudo aconteceu

Essa nova teoria é, na verdade, o principal resultado de uma escavação feita em duas vilas recém descobertas na planície de Gizé, que abrigaram em sua época pelo menos 20 mil pessoas durante a quarta dinastia do Egito, exatamente na época em que as pirâmides foram erguidas.

“Estamos confrontando uma das crenças mais comuns acerca do Egito, baseadas nos relatos de Heródoto e da Bíblia, com as novas evidências”, diz Zahi Hawass, diretor do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito.

Os indícios que são mais contundentes foram encontrados nas tumbas dos construtores das pirâmides. Elas foram construídas, decoradas e também preservadas como versões menores e mais simples dos túmulos faraônicos. Dentro delas, alguns corpos apresentavam marcas de fraturas curadas ou de membros amputados, até mesmo de possíveis cirurgias cerebrais. Isso é um sinal de que estes trabalhadores recebiam o devido tratamento médico.

Os achados ainda abriram interpretação para novas teorias. Para os pesquisadores, essas vilas são alojamentos de camponeses que, nas entressafras, vinham trabalhar temporariamente para construir as pirâmides.

“Encontramos inscrições no interior da pirâmide de Quéops, que mostram que os trabalhadores formavam equipes e sentiam-se orgulhosos ao completarem as tarefas. Talvez até fossem recompensados por isso”, diz Hawass.

Pixabay

Pixabay

Curiosidades sobre as pirâmides

1. As construções de rocha eram cobertas com barro

2. Os pães, a base de alimentação, eram preparados em fornos coletivos

3. Homens e mulheres migravam de todo o Egito nas épocas de entressafra

4. As camas eram feitas de barro, montadas uma ao lado da outra, e depois cobertas com esteiras de palha

5. As escavações comprovam que, na verdade, os trabalhadores eram bem alimentados e recebiam constantes cuidados médicos

6. Por conta do calor, as atividades como cozinha e costura eram feitas ao ar livre

7. Supõe-se que mais de 70% de todos os monumentos da planície de Gizé ainda estejam abaixo das areias do deserto

Pixabay

Pixabay

O mistério de Tutancâmon

Quase um século depois de ter sido desenterrado, Tutancâmon, de longe é a múmia mais famosa de toda a história moderna, mas ainda continua a ser um grande mistério.

A partir de sua descoberta, em 1922, o fascínio pelo Egito começou a crescer no mundo inteiro. O jovem faraó viveu apenas 18 anos e foi enterrado com um número gigantesco de adereços em ouro, o maior já encontrado em uma tumba até hoje.

O problema é que ninguém sabe como foi que Tutancâmon acabou morrendo, ou melhor, a verdade é que todo mundo tem sua própria explicação sobre a morte prematura do faraó.

Há quem defenda que Tutancâmon, na verdade, teria sofrido um violento tumor em sua cabeça, devido a regiões mais finas em seu crânio. Essa doença teria afetado sua mobilidade e seu equilíbrio, o que poderia simplesmente ter o feito morrer em uma simples queda.

Se você gosta de curiosidades, dê uma olhada em nosso blog. Lá você vai encontrar um pouco de tudo sobre o universo!

Leia nosso blog

Para nomear uma estrela, tudo que você precisa fazer é apertar o botão abaixo. É rápido, simples e você vai ter uma estrela com o seu nome para sempre!

Nomeie uma estrela